Lugares desertos

Em um mundo tão ativista, em uma sociedade tão capitalista, tão cheias de sonhos, projetos, ideias, vemos o quanto as pessoas têm investido naquilo que é passageiro, ao invés daquilo que é eterno.  Olhamos para os lados e enxergamos mesmo não querendo, pessoas que estão mais preocupadas em guardar bens materiais do que o próprio conhecimento –  que não envelhece, não morre.

E isso não é diferente no cristianismo, ou melhor, não era pra ser. Vivemos em dias onde a “igreja” tem-se preocupado tanto em trabalhar para Deus, que tem se esquecido de ter intimidade, compromisso com o Dono da obra.

Quando olhamos para as nossas vidas, vemos o quanto somos certinhos, falamos o “crentês” fluentemente, as nossas roupas estão adequadas, nós estamos bonitinhos, mas por dentro está tudo podre, continuamos os mesmos arrogantes, incompreensíveis, avarentos,  orgulhosos e intolerantes  de sempre.

Ao lermos a Bíblia conseguimos ver o quanto Jesus foi tão Santo e ao mesmo tempo tão humano quanto nós. Em Lucas 5.15-16 diz: “Mas as notícias a respeito de Jesus se espalhavam ainda mais, e muita gente vinha para ouvi-lo e para ser curada de suas doenças. Porém Jesus ia para lugares desertos e orava.”

Como este texto é simples e forte, não é mesmo?! Jesus, o próprio Deus, que curava, ressuscitava mortos, dava visões aos cegos,  saía para lugares desertos e orava.

Eu começo a pensar e tentar entender o que se passava na mente de Jesus. Talvez as pessoas olhavam para Jesus, e é como se curar, ressuscitar e realizar  tantos milagres  fossem  a sua obrigação. As notícias a respeito de Jesus  corriam, as pessoas O conhecia  muitas vezes pelo o que fazia e não por aquilo que ele era.

Mas quando as pessoas conheciam Jesus face a face, podiam ver e sentir que Ele não era um profeta que fazia milagres, mas o Verbo de Deus encarnado que está  muito mais preocupado em mudar   o que está dentro de nós, o nosso caráter, do que o nosso exterior.

E talvez você esteja dentro da igreja, dentro de ministérios, você tem crescido, as notícias a respeito de você têm sido boas, você é uma benção, porém, tem-se esquecido de ir para lugares desertos e deixar que Deus molde a sua vida. A Bíblia não fala, mas acredito que cada vez que Jesus ficava só, ia para lugares desertos, Deus o enchia cada vez mais, posso ver Deus falando com Ele e seu coração ardendo de amor e paixão por mim e por você.

É no deserto e no  silêncio das nossas vidas que o coração de Deus fala ao nosso!

Quando você trabalha para Deus e não term intimidade com Ele, seu trabalho não está valendo de nada, pois você é apenas um empregado e Deus seu patrão. Porém,  o filho é diferente, pois é impossível você ter encontrado com Jesus e não querer que outras pessoas o conheçam.

Querido, eu encerro este texto dizendo que os desertos, os lugares onde ficamos sós é onde nós aprendemos. Ter pessoas, amigos é maravilhoso, mas nada compara-se à presença santa e incorruptível de Deus, nada compara-se a contar para Ele os nossos anseios, vontades e sonhos.

Faça como Jesus, vá para lugares desertos e encha-se de novo, e então seu trabalho não será vão no Senhor!

Por Geison Flávio. 

Anúncios

Deixe um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s