Documentário

Gente, eu estava assistindo um documentário sobre o Egito Antigo, mais precisamente sobre a Rainha Nefertiti, ela foi uma das rainhas mais poderosas daquela época, e sua múmia foi danificada misteriosamente. Alguns arqueólogos buscam há anos desvendar esse mistério, eles vivem pra isso, e nesse documentário várias coisas me chamaram atenção.

Primeiro, a paixão que eles tem pela exploração histórica, como eles conhecem, como eles se dedicam a isso de uma forma tão intensa. Se você observar em todo documentário os historiadores contam suas experiências com muita paixão, eles realmente querem descobrir cada detalhe do que se passou há 3 mil anos atrás, e eu fiquei pensando em como isso faz tanta diferença na vida deles.

Mas o que mais me chamou atenção mesmo foi uma coisa que a pesquisadora Joann Fletcher, especialista em cabelo antigo (tem de tudo nesse mundo!), disse sobre o seu tão sonhado encontro com as múmias, foi mais ou menos assim: “Eu quase não acreditei que estava ali, foi o momento mais feliz da minha vida, eu poderia ter morrido naquele dia que morreria feliz!”

Eu parei quando ouvi: “Eu poderia ter morrido que morreria feliz!”

Fiquei pensando: “Será que ela tem noção do que está dizendo? Será que ela conhece Jesus? Será que a vida dela é tão insignificante assim que ela daria a própria vida por uma múmia? Será que ela sabe quem deu a vida por ela? Será que essa mulher vive? Será que ela tem marido, filhos, família ou ela vive pro passado?”

Refleti bastante… Pra mim isso parece loucura, pois, como pode existir tanta dedicação assim ao ponto de darem as suas vidas por uma hora diante de uma múmia?

Ao mesmo tempo eu me comparei e vi que muitas vezes nós mal damos 10 minutos do nosso tempo para buscar a Deus, orar e conhecê-lo melhor através da sua palavra. Temos a oportunidade de estarmos diante daquele que está acima de tudo isso. Aquele que É, que Era e que Há de vir. O Deus de ontem, hoje e amanhã. Aquele que jamais passará! Aquele que não precisa de múmias nem de tumbas para eternizar o seu reinado. Aquele que é tão grande e que se faz tão pequeno ao ponto de caber dentro de nós. O Deus forte todo poderoso! O Rei dos Reis! O Senhor dos Senhores!

E diante do que ela disse eu me pergunto: “Será que eu amo o Senhor com essa intensidade?”

É minha gente, precisamos refletir sobre a real importância que estamos dando ao Senhor, sobre que lugar ele ocupa em nossas vidas e sobre o quanto o amamos.

Reflitam, orem e perguntem ao Espírito Santo.

Tenham um belo dia!

Por Lela

Anúncios

2 pensamentos sobre “Documentário

Deixe um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s